terça-feira, 6 de novembro de 2018

Simpósio em ginecologia oncológica, Student Exchange, Promoção Cia. das Letras Caixa de entrada x

 Simpósio em ginecologia oncológica, Student Exchange, Promoção Cia. das Letras

V Symposium of Student Exchange of School Medical Science

Slideshow

Fique por dentro

Simpósio em ginecologia oncológica: Manejo clínico e novos tratamentos

Dias 9 e 10 de novembro, na FCM. Inscrições grátis. Vagas limitas. Veja programação

Últimas Notícias

Livrarias da Editora da Unicamp vendem títulos da Cia das Letras com desconto especial

Eventos

06.11: The Gut Microbiome in Health and Disease: Vision for the Future
06.11: V Symposium of Student Exchange of School Medical Science
07.11: 30 anos do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Cirurgia
07.11: Brazilian Initiative on Precision Medicine (BIPMed)
07.11: Treinamento Biblioteca FCM - Scopus (novembro)

Conheça os tipos de pronome

Olá, leitor!
Neste texto, abordaremos os tipos de pronome e traremos exemplos de cada um deles. Mas, primeiramente, precisamos saber o que é um pronome. Vamos lá?
Pronomes são palavras que substituem ou acompanham um substantivo e que indicam as pessoas do discurso (1 ª, 2 ª e 3ª pessoa do singular e do plural).
Quando o pronome substitui um substantivo, ou seja, quando exerce a função de um substantivo, dizemos que é um pronome substantivo. Já quando ele acompanha ou caracteriza um substantivo, dizemos que é um pronome adjetivo.
Ex.: Eu vi Julieta mexendo em minhas coisas.
Nessa frase, temos 2 pronomes: “eu” e “minhas”. “Eu” é um pronome pessoal do caso reto que está substituindo e exercendo a função de um substantivo. Logo, pode ser classificado como pronome substantivo.
Já o termo “minhas” é um pronome possessivo que exerce a função de adjetivo, pois está acompanhando e caracterizando o substantivo “coisas”. Por isso, a palavra pode ser categorizada como pronome adjetivo.
É importante lembrar que a classificação dos pronomes em substantivos e adjetivos se refere à colocação das palavras na frase e não invalida outras categorizações, como pessoal, possessivo e demonstrativo. Fonte:

Tipos de pronome

Tipos de pronome
Fonte: Reprodução
Os pronomes são divididos em 6 tipospessoais, possessivos, demonstrativos, indefinidos, relativos e interrogativos. Confira cada um deles a seguir.

Pronomes pessoais

Os pronomes pessoais substituem os substantivos e indicam as pessoas do discurso. São divididos em pessoais retos, pessoais oblíquos e de tratamento. Veja cada um deles nas tabelas a seguir.
  • Pronomes pessoais retos e oblíquos
Pessoas do discursoPronomes pessoais retosPronomes pessoais oblíquos
1 ª pessoa do singularEuMe, mim, comigo
2 ª pessoa do singularTuTe, ti, contigo
3 ª pessoa do singularEla, eleSe, si, consigo, o, a, lhe
1 ª pessoa do pluralNósNos, conosco
2 ª pessoa do pluralVósVos, convosco
3 ª pessoa do pluralElas, elesSe, si, consigo, os, as lhes
Ex.: Eu estou ouvindo música.
  • Pronomes de tratamento
TratamentoAbreviaturaUsado para
VocêV.Pessoas com quem você tem intimidade
Senhor, senhoraSr., Sra.Tratamento de respeito, geralmente para pessoas mais velhas
SenhoritaSrta.Moças solteiras
Vossa AltezaV. A.Príncipes, arquiduques e duques
Vossa EminênciaV. Em.ªCardeais
Vossa ExcelênciaV. Ex.ªAltas autoridades do governo e generais das forças armadas
Vossa MagnificênciaV. Mag. ªReitores de universidades
Vossa MajestadeV. M.Reis e imperadores
Vossa SantidadeV. S.Papa
Ex.: José trouxe um presente para você.

Pronomes possessivos

Os pronomes possessivos são utilizados para indicar uma relação de posse. São eles:
Pessoas do discursoPronomes possessivos
1 ª pessoa do singularMeu, meus, minha, minhas
2 ª pessoa do singularTeu, teus, tua, tuas
3ª pessoa do singularSeu, seus, sua, suas
1 ª pessoa do pluralNossa, nossas, nosso, nossos
2 ª pessoa do pluralVossa, vossas, vosso, vossos
3ª pessoa do pluralSeu, seus, sua, suas
Ex.: Não gosto que mexam em minhas coisas.

Pronomes demonstrativos

Os pronomes demonstrativos indicam a posição de algo no espaço e no tempo em relação às pessoas do discurso. Também são usados para situar elementosdentro de um texto. Confira cada um deles a seguir:
VariáveisInvariáveis
Esta, estas, este, estesIsto
Essa, essas, esse, essesIsso
Aquela, aquelas, aquele, aquelesAquilo
Ex.: Aquele que está sentado é o José.

Pronomes indefinidos

Os pronomes indefinidos acompanham ou substituem substantivos de modo vago, impreciso. Os principais deles são:
VariáveisInvariáveis
Algum, alguns, alguma, algumasAlgo
Bastante, bastantesAlguém
Certo, certos, certa, certasCada
Muito, muitos, muita, muitasNada
Nenhum, nenhuns, nenhuma, nenhumasNinguém
Outro, outros, outra, outrasOutrem
Pouco, poucos, pouca, poucasTudo
Qualquer, quaisquer 
Quanto, quantos, quanta, quantas 
Tanto, tantos, tanta, tantas 
Todo, todos, toda, todas 
Vário, vários, vária, várias 
Ex.: Muitas pessoas vieram à minha festa de aniversário.

Pronomes relativos

Os pronomes relativos retomam um termo da oração anterior, relacionando as duas frases. São eles:
VariáveisInvariáveis
Cujo, cujos, cuja, cujasQue
Qual, quaisQuem
Quanto, quantos, quanta, quantasOnde
Ex.: O homem do qual estávamos falando foi embora.

Pronomes interrogativos

Os pronomes interrogativos são usados para formular orações interrogativas, tanto diretas quanto indiretas. Confira:
VariáveisInvariáveis
Qual, quaisQue
Quanto, quantos, quanta, quantasQuem
Ex.: Qual é o seu nome? (Oração interrogativa direta)
Ainda não sei qual é o seu nome. (Oração interrogativa indireta)
Você viu neste texto os 6 tipos de pronomes que existem na língua portuguesa. Que tal agora fazer alguns exercícios, para fixar a matéria e não errar na hora da prova?
Um grande abraço e até a próxima!

Exercícios

1 – (PUC-MG) Encontramos pronome indefinido em:
a) “Muitas horas depois, ela ainda permanecia esperando o resultado.”
b) “Foram amargos aqueles minutos, desde que resolveu abandoná-las.”
c) “A nós, provavelmente, enganariam, pois nossa participação foi ativa.”
d) “Havia necessidade de que tais ideias ficassem sepultadas.”
e) “Sabíamos o que você deveria dizer-lhe ao chegar da festa.”
2 – (Mackenzie) “Este inferno de amar – como eu amo! – / Quem mo pôs aqui n’alma … quem foi? / Esta chama que alenta e consome, / Que é a vida – e que a vida destrói – /  Como é que se veio a atear, / Quando – ai quando se há-de apagar?” (Almeida Garret)
No texto, os pronomes eu, quem esta são, respectivamente:
a) indefinido – pessoal – indefinido.
b) pessoal – interrogativo – demonstrativo.
c) pessoal – indefinido – demonstrativo.
d) interrogativo – pessoal – indefinido.
e) indefinido – pessoal – interrogativo.
3 – (EPCAR) O que é pronome interrogativo na frase:
a) Os que chegaram atrasados farão a prova?
b) Se não precisas de nós, que vieste fazer aqui?
c) Quem pode afiançar que seja ele o criminoso?
d) Teria sido o livro que me prometeste?
e) Conseguirias tudo que desejas?
4 – (UEPG-PR) “Toda pessoa deve responder pelos compromissos assumidos.” A palavra destacada é:
a) pronome adjetivo indefinido.
b) pronome substantivo indefinido.
c) pronome adjetivo demonstrativo.
d) pronome substantivo demonstrativo.
e) nenhuma das alternativas acima é correta.
5 – (ETF-SP) Em “O casal de índios levou-os à sua aldeia, que estava deserta, onde ofereceu frutas aos convidados”, temos:
a) dois pronomes possessivos e dois pronomes pessoais.
b) um pronome pessoal, um pronome possessivo e dois pronomes relativos.
c) dois pronomes pessoais e dois pronomes relativos.
d) um pronome pessoal, um pronome possessivo, um pronome relativo e um pronome interrogativo.
e) dois pronomes possessivos e dois pronomes relativos.

Gabarito

1. a.
2. b.
3. b.
4.a.
5.b.
 
 

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Curso gratuito sobre normas da ABNT para trabalhos acadêmicos

Olá, leitor!
A Administra Brasil, plataforma especializada em cursos online, oferece um curso gratuito sobre normas da ABNT para trabalhos acadêmicos. As lições somam uma carga horária de 140 horas e o conteúdo está organizado em uma apostila em PDF, disponível para download.
O material explica o que é a ABNT e mostra como usá-la em cada item dos projetos universitários. A apostila também traz orientações sobre os diferentes tipos de texto científico, como monografia, dissertação e tese, e oferece dicas para escrever cada um deles. Fonte:
O curso não tem nenhum pré-requisito e não exige cadastro. Para acessar o conteúdo, basta entrar no site da Administra Brasil. Ao terminar de ler e estudar a apostila, você pode solicitar o certificado de conclusão. A plataforma cobra um valor de R$ 29,90 para emitir o documento.
Para obter o certificado, procure o ícone “Solicitar certificado de conclusão por 29,90. Ao clicar no botão, você precisará seguir todas as etapas para finalizar a compra. Primeiro, será necessário fornecer seu e-mail. Em seguida, aparecerá um formulário solicitando informações pessoais, como nome completo, CPF, telefone celular e CEP.
Então, será preciso realizar o pagamento, que é processado pelo sistemaPagSeguro, mecanismo que pertence ao Grupo UOL e é especializado em transações pela internet. Poucos minutos após a aprovação do pedido, o certificado digital, em PDF, será enviado para o seu e-mail. O documento terá seu nome, o nome do curso, a data de emissão e a carga horária.
E então? O que você achou desse curso? Não perca a oportunidade e aprenda a usar a ABNT em seus trabalhos acadêmicos!
Bons estudos e até mais!

Mandala chega à 11ª edição e vai além das danças árabes


Evento em Varginha dá lugar também às danças espanholas e ciganas
       A Mandala, Mostra Anual de Danças, evento que se tornou tradicional em Varginha, chega à sua 11ª edição e, além dos estilos árabes, vai apresentar também danças  espanholas, como o flamenco, e danças ciganas. O espetáculo será apresentado por alunos da professora Elen Hanna, promotora do festival, e por convidados especiais como Paula Andrade, André Abi-Sáber, Paulo Sérgio, Aline Hensser e Paula Zahirah.
         Os profissionais de música e dança flamencas de Belo Horizonte, André Abi-Sáber, que é guitarrista e cantor, e Paula Andrade, que é bailarina, vão também ministrar curso de introdução ao flamenco e castanholas, para pessoas que já tem noções de danças. 
       O Mandala vai acontecer dia 10 de novembro, às 19:30 horas, no teatro do Colégio Marista, no Centro de Varginha, e os ingressos podem ser adquiridos nas lojas Balaio de Gato, avenida São José, 317, e Acordes Music Store, rua Santa Cruz, 764; ou ainda no Espaço de Danças Elen Hanna, rua Delfim Moreira, 470, de segunda à sexta, de 18 às 22 horas.
       O curso de introdução ao flamenco e castanholas será dia 11 de novembro, às 9 horas. Informações sobre como participar, no Espaço Elen Hanna, ou pelo telefone (35) 99740-7756.

Descubra os 4 tipos de conhecimento: conceito e definição

Olá, leitor!
Você é curioso? Gosta de conhecer sobre tudo ao seu redor? Procura respostas para muitas questões? Então, você não está sozinho: Aristótelesfilósofo grego,escreveu que “por natureza, todo homem deseja conhecer”.
No artigo de hoje, vamos falar sobre os 4 principais tipos de conhecimento e as relações, diferenças e semelhanças entre eles. Confira!

Conceito e definição de conhecimento

tipos de conhecimento
Fonte: Reprodução
A definição clássica foi feita por Platão, que afirmou que para haver conhecimento, pelo menos 3 critérios devem ser preenchidos: uma declaração deve serjustificada, verdadeira e acreditada.
Além desta definição, existem outras, feitas por estudiosos e filósofos. Confira algumas delas a seguir:
  • Para T. Davenport, o conhecimento é “informação combinada com experiência, contexto, interpretação e reflexão. É uma forma de informação de alto valor que está pronta para ser aplicada a decisões e ações“.
  • Para I. Nonaka, “o conhecimento explícito ou codificado refere-se ao conhecimento que é transmissível em linguagem formal e sistemática. Por outro lado, o conhecimento tácito tem uma qualidade pessoal, o que dificulta a formalização e a comunicação.”
  • Para Sewery Worthington, “conhecimento é um registro físico, mental ou eletrônico de relações que se acredita existir entre entidades, forças e fenômenos reais ou imaginários.
  • Para Wiig, o conhecimento é composto por “ entendimentos e experiencias práticas que todos nós possuímos – é um recurso fundamental que nos permite funcionar de forma inteligente“.
  • Para Rousa, “conhecimento é informação avaliada e organizada pela mente humana para que possa ser usada propositadamente (por exemplo, conclusões ou explicações)”.
Considerando a teoria de Platão, o conhecimento, verdadeiro e justificável, difere do conceito de opinião, que se refere uma perspectiva pessoal sobre determinado assunto. Fonte:

Quais são os tipos de conhecimento?

Teoria do Conhecimento do filósofo alemão Johannes Hessen traz os fatores fundamentais para a obtenção do conhecimento e o divide em 4 tipos:
  • Conhecimento filosófico;
  • Conhecimento científico;
  • Conhecimento religioso;
  • Conhecimento empírico.
Para se aprofundar nas várias categorias do conhecimento, é preciso estudar pelo menos 3 disciplinas:
  • Teoria do conhecimento: estuda a natureza do conhecimento em geral;
  • Epistemologia: aborda a natureza e fundamentação do conhecimento científico;
  • Metodologia científica: trata dos processos lógicos de aquisição do conhecimento científico.

Classificação dos tipos de conhecimento no Brasil

No Brasil, é utilizada a classificação feita pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior), que divide o conhecimento em áreas.
Essa divisão tem o objetivo de sistematizar os recursos de ciência e tecnologia e as informações relacionadas aos projetos de pesquisa. No site da CAPES, é possível acessar a tabela com as 48 áreas do conhecimento, divididas em subáreas e especialidades.

Conhecimento filosófico

Filosofia estuda o conhecimento e procura respostas para questões fundamentais que surgem tanto na vida cotidiana quanto na prática de outras disciplinas.
O conhecimento filosófico é construído à medida que se reflete sobre questões como:
  • Existe um mundo externo?
  • Qual é a relação entre o físico e o mental?
  • Deus existe?
  • Qual a origem do universo?
  • De onde vêm os valores morais?
  • O que é acreditar?
  • Todo conhecimento tem origem na experiência dos sentidos humanos?
  • Qual é o limite para conhecer?
  • Que tipo de conhecimento a ciência oferece?
  • As teorias científicas podem modificar nossa compreensão filosófica  e nossa abordagem da realidade?
Como citamos anteriormente, um dos ramos da Filosofia que estuda o conhecimento é a Epistemologia, sendo o termo baseado nas palavras gregas “ἐπιστήμη ou episteme” (conhecimento ou ciência) e “λόγος ou logos” (conta ou explicação).
Epistemologia foi traduzida para o inglês pelo filósofo escocês James Frederick Ferrier e estuda as relações entre conhecimento e crença, analisando questões como:
  • O conhecimento é verdadeiro?
  • Quais fatores determinam se uma crença é racional ou irracional?
  • Qual é a diferença entre saber algo e acreditar em algo?
A própria definição de conhecimento é discutida no campo da Epistemologia, abordando:
  • O que é conhecimento;
  • Como o conhecimento é adquirido;
  • O que as pessoas sabem.
Em suma, o conhecimento filosófico é construído levando em conta o que e como os humanos sabem.
As características principais do conhecimento filosófico são:
  • Racional;
  • Não experimental;
  • Não verificável;
  • Sistemático;
  • Infalível.

Conhecimento científico

Para compreendermos o conhecimento científico, primeiro é preciso definir o que é ciência. A ciência, neste sentido, é um objeto de conhecimento e o processo pelo qual esse conhecimento é produzido.
processo científico é o ato de construir conhecimento e fazer previsões sobre o mundo de tal maneira que elas possam ser testadas. Diferentes disciplinas científicas usam diferentes métodos e abordagens, mas os testes são o ponto comum entre todos os cientistas.
O conhecimento científico é feito com interpretação de dados, hipóteses, teorias e leis, que ajudam a explicar e contextualizar resultados, e conta com experimentos, observações, modelagem e testes.
Pode-se afirmar que o conhecimento científico está em constante crescimento, revisando, avaliando e incorporando ideias anteriores. As principais teorias, apoiadas por várias linhas de evidência, raramente são completamente alteradas, mas novos dados e explicações acrescentam nuances e detalhes.
A maioria das investigações científicas não leva a resultados facilmente verificáveis e compreensíveis. Ainda assim, confiamos no conhecimento científico, pois supomos a verdade como produto de considerações lógicas.

Método científico

Para um conhecimento científico ser considerado confiável, é preciso que suas proposições sejam construídas por meio do método científico, que pode trilhar vários caminhos:
  • O método de autoridade;
  • O método da intuição;
  • Os métodos de investigação experimental;
  • O método experimental em geral;
  • O método de acordo;
  • O método da diferença;
  • O método comum de acordo e diferença;
  • O método da variação concomitante;
  • A doutrina da uniformidade da natureza;
  • A pluralidade de causas.
Seja qual for a opção escolhida, o método científico possui as seguintes etapas:
  • Observação;
  • Problema;
  • Hipótese;
  • Experiência;
  • Lei;
  • Teoria.
O cientista Marcello Pera, autor do artigo “Método Indutivo e Descoberta Científica”, afirmou:
“Em primeiro lugar, o método científico é um procedimento, uma estratégia geral que indica uma sequência ordenada de movimentos (ou etapas) que o cientista tem que fazer (ou passar) para alcançar o objetivo de sua pesquisa”
Resumindo, o conhecimento cientifico possui as seguintes características:
  • Amplo e profundo;
  • Objetivo;
  • Sistemático;
  • Crítico;
  • Real;
  • Experimental;
  • Verificável;
  • Falível.

Conhecimento religioso

Ao contrário dos conhecimentos cientifico e filosófico, o conhecimento religioso pode ser construído a partir de revelações, escrituras e experiências religiosas e espirituais.
Algumas tradições formulam o conhecimento religioso usando vocabulários conceituais e abstratos. Outras partem para a compreensão intuitiva da verdade religiosa. Em suma, o conhecimento religioso possui as seguintes características:
  • Crença;
  • Fé;
  • Não verificável;
  • Aceitação plena (nenhuma dúvida);
  • Valorativo;
  • Infalível;
  • Indiscutível;
  • Exato;
  • Sistemático.

Conhecimento teológico

conhecimento teológico ou teologia  é uma categoria do conhecimento religioso que pode ser adquirida por meio de diferentes textos sagrados, como o Alcorão, a Torá e a Bíblia.
O termo teologia vem do grego “theos“, que significa Deus, e “logos“, traduzido como estudo ou raciocínio. Portanto, a teologia é a análise e reflexão sobre a natureza divina.
O conhecimento teológico se baseia no conceito de crença, que se refere ao estado mental em que uma pessoa está imersa quando adota uma proposição como verdadeira.
Este estado é subjetivo e considera que as revelações divinas não dependem do homem, mas são dada por entidades espirituais.
Outra característica do conhecimento teológico é que este é valorativo, ou seja, atribui valor a diferentes normas e doutrinas instituídas como sagradas ao longo dos anos.
O conhecimento teológico é construído por meio do estudo sistemático das concepções divinas sobre a origem, o sentido e o futuro do mundo. Ao contrário do conhecimento cientifico, que pode ser testado, a maioria dos conhecimentos teológicos não são baseados em evidências verificáveis.
Por isso, outra característica importante da teologia são os dogmas, afirmações aceitas como verdades plenas, indiscutíveis e infalíveis.

Exemplos de conhecimento teológico

Vamos mencionar 2 tipos de conhecimento teológico, baseados nas religiões católica e protestante:
  • Conhecimento teológico católico: os religiosos procuram aprofundar o conhecimento sobre Deus por meio da Bíblia, que é tomada como a palavra divina. Os teólogos católicos têm como  principal fonte de informações a razão humana, mas também se baseiam em revelações divinas.
  • Conhecimento teológico protestante: os protestantes eliminaram alguns dogmas da fé católica e organizaram 5 postulados em latim (Sola Fide , Sola Gratia , Sola Scriptura , Solus Christus e Soli Deo Gloria), considerando a Bíblia uma fonte infalível de informações.

Conhecimento empírico

Antes de definir o que é conhecimento empírico, vamos refletir sobre o conceito de experiência. “Experiência” vem do latim  experientia e pode ser definida como “conhecimento sensível da realidade externa“. Deste radical latino deriva também perior, que dá origem às palavras periculum (teste ou dificuldade) e peritus(expert).
A experiência é muito importante para a construção do conhecimento. É a partir dela que formulamos problemas e obtemos dados e informações. É também na experiência que testamos e validamos nossas hipóteses e teorias.
Logo, o conhecimento empírico é aquele que foi provado, que passou por diversos testes para ser formulado. Assim, esse tipo de conhecimento também pode ser encontrado no conhecimento científico, já que está presente nos experimentos desenvolvidos pela ciência.
Para leigos, uma pessoa experiente é aquela que possui o conhecimento empírico, isto é, o acúmulo de saberes e habilidades adquiridas por meio de testes, tanto no sentido teórico quanto prático.
As principais características do conhecimento empírico são:
  • Superficial;
  • Subjetivo;
  • Sensitivo;
  • Assistemático;
  • Acrítico.

Comparação entre os tipos de conhecimento

Tipo de ConhecimentoFilosóficoCientíficoReligioso/TeológicoEmpírico
Características principaisRacional;Não experimental;
Não verificável;
Sistemático;
Infalível;
Exato.
Amplo e profundo;Não sensitivo;
Objetivo;
Sistemático;
Crítico;
Real;
Experimental;
Verificável;
Falível.
Crença;Fé;
Inspiracional;
Não verificável;
Aceitação plena (nenhuma dúvida);
Valorativo;
Infalível;
Indiscutível;
Exato;
Sistemático.
Superficial;Subjetivo;
Sensitivo;
Assistemático;
Acrítico;
AlgunsExemplosEpistemologia.Matemática;Biologia;
Química.
Conhecimento teológico católico;Conhecimento teológico protestante.Senso comum;Conhecimentos populares;
Conhecimento a partir de experiências humanas.
É importante diferenciar os tipos de conhecimento para compreendermos melhor o universo, as relações humanas e as nossas crenças. As várias categorias do conhecimento se relacionam e podem ser contrárias, complementares ou auxiliares entre si.
Por exemplo, há princípios e saberes que uma pessoa pode experimentar subjetivamente e que são evidenciados pela ciência. Ao mesmo tempo, esta pessoa pode ter uma experiência subjetiva e associá-la a um dogma religioso, construindo assim seu conhecimento teológico.
E então, gostou de aprender sobre as teorias e os tipos de conhecimento? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!
Bons estudos e até mais!
 Olá, leitor!
Você é curioso? Gosta de conhecer sobre tudo ao seu redor? Procura respostas para muitas questões? Então, você não está sozinho: Aristótelesfilósofo grego,escreveu que “por natureza, todo homem deseja conhecer”.
No artigo de hoje, vamos falar sobre os 4 principais tipos de conhecimento e as relações, diferenças e semelhanças entre eles. Confira!

Conceito e definição de conhecimento

tipos de conhecimento
Fonte: Reprodução
A definição clássica foi feita por Platão, que afirmou que para haver conhecimento, pelo menos 3 critérios devem ser preenchidos: uma declaração deve serjustificada, verdadeira e acreditada.
Além desta definição, existem outras, feitas por estudiosos e filósofos. Confira algumas delas a seguir:
  • Para T. Davenport, o conhecimento é “informação combinada com experiência, contexto, interpretação e reflexão. É uma forma de informação de alto valor que está pronta para ser aplicada a decisões e ações“.
  • Para I. Nonaka, “o conhecimento explícito ou codificado refere-se ao conhecimento que é transmissível em linguagem formal e sistemática. Por outro lado, o conhecimento tácito tem uma qualidade pessoal, o que dificulta a formalização e a comunicação.”
  • Para Sewery Worthington, “conhecimento é um registro físico, mental ou eletrônico de relações que se acredita existir entre entidades, forças e fenômenos reais ou imaginários.
  • Para Wiig, o conhecimento é composto por “ entendimentos e experiencias práticas que todos nós possuímos – é um recurso fundamental que nos permite funcionar de forma inteligente“.
  • Para Rousa, “conhecimento é informação avaliada e organizada pela mente humana para que possa ser usada propositadamente (por exemplo, conclusões ou explicações)”.
Considerando a teoria de Platão, o conhecimento, verdadeiro e justificável, difere do conceito de opinião, que se refere uma perspectiva pessoal sobre determinado assunto. Fonte:

Quais são os tipos de conhecimento?

Teoria do Conhecimento do filósofo alemão Johannes Hessen traz os fatores fundamentais para a obtenção do conhecimento e o divide em 4 tipos:
  • Conhecimento filosófico;
  • Conhecimento científico;
  • Conhecimento religioso;
  • Conhecimento empírico.
Para se aprofundar nas várias categorias do conhecimento, é preciso estudar pelo menos 3 disciplinas:
  • Teoria do conhecimento: estuda a natureza do conhecimento em geral;
  • Epistemologia: aborda a natureza e fundamentação do conhecimento científico;
  • Metodologia científica: trata dos processos lógicos de aquisição do conhecimento científico.

Classificação dos tipos de conhecimento no Brasil

No Brasil, é utilizada a classificação feita pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior), que divide o conhecimento em áreas.
Essa divisão tem o objetivo de sistematizar os recursos de ciência e tecnologia e as informações relacionadas aos projetos de pesquisa. No site da CAPES, é possível acessar a tabela com as 48 áreas do conhecimento, divididas em subáreas e especialidades.

Conhecimento filosófico

Filosofia estuda o conhecimento e procura respostas para questões fundamentais que surgem tanto na vida cotidiana quanto na prática de outras disciplinas.
O conhecimento filosófico é construído à medida que se reflete sobre questões como:
  • Existe um mundo externo?
  • Qual é a relação entre o físico e o mental?
  • Deus existe?
  • Qual a origem do universo?
  • De onde vêm os valores morais?
  • O que é acreditar?
  • Todo conhecimento tem origem na experiência dos sentidos humanos?
  • Qual é o limite para conhecer?
  • Que tipo de conhecimento a ciência oferece?
  • As teorias científicas podem modificar nossa compreensão filosófica  e nossa abordagem da realidade?
Como citamos anteriormente, um dos ramos da Filosofia que estuda o conhecimento é a Epistemologia, sendo o termo baseado nas palavras gregas “ἐπιστήμη ou episteme” (conhecimento ou ciência) e “λόγος ou logos” (conta ou explicação).
Epistemologia foi traduzida para o inglês pelo filósofo escocês James Frederick Ferrier e estuda as relações entre conhecimento e crença, analisando questões como:
  • O conhecimento é verdadeiro?
  • Quais fatores determinam se uma crença é racional ou irracional?
  • Qual é a diferença entre saber algo e acreditar em algo?
A própria definição de conhecimento é discutida no campo da Epistemologia, abordando:
  • O que é conhecimento;
  • Como o conhecimento é adquirido;
  • O que as pessoas sabem.
Em suma, o conhecimento filosófico é construído levando em conta o que e como os humanos sabem.
As características principais do conhecimento filosófico são:
  • Racional;
  • Não experimental;
  • Não verificável;
  • Sistemático;
  • Infalível.

Conhecimento científico

Para compreendermos o conhecimento científico, primeiro é preciso definir o que é ciência. A ciência, neste sentido, é um objeto de conhecimento e o processo pelo qual esse conhecimento é produzido.
processo científico é o ato de construir conhecimento e fazer previsões sobre o mundo de tal maneira que elas possam ser testadas. Diferentes disciplinas científicas usam diferentes métodos e abordagens, mas os testes são o ponto comum entre todos os cientistas.
O conhecimento científico é feito com interpretação de dados, hipóteses, teorias e leis, que ajudam a explicar e contextualizar resultados, e conta com experimentos, observações, modelagem e testes.
Pode-se afirmar que o conhecimento científico está em constante crescimento, revisando, avaliando e incorporando ideias anteriores. As principais teorias, apoiadas por várias linhas de evidência, raramente são completamente alteradas, mas novos dados e explicações acrescentam nuances e detalhes.
A maioria das investigações científicas não leva a resultados facilmente verificáveis e compreensíveis. Ainda assim, confiamos no conhecimento científico, pois supomos a verdade como produto de considerações lógicas.

Método científico

Para um conhecimento científico ser considerado confiável, é preciso que suas proposições sejam construídas por meio do método científico, que pode trilhar vários caminhos:
  • O método de autoridade;
  • O método da intuição;
  • Os métodos de investigação experimental;
  • O método experimental em geral;
  • O método de acordo;
  • O método da diferença;
  • O método comum de acordo e diferença;
  • O método da variação concomitante;
  • A doutrina da uniformidade da natureza;
  • A pluralidade de causas.
Seja qual for a opção escolhida, o método científico possui as seguintes etapas:
  • Observação;
  • Problema;
  • Hipótese;
  • Experiência;
  • Lei;
  • Teoria.
O cientista Marcello Pera, autor do artigo “Método Indutivo e Descoberta Científica”, afirmou:
“Em primeiro lugar, o método científico é um procedimento, uma estratégia geral que indica uma sequência ordenada de movimentos (ou etapas) que o cientista tem que fazer (ou passar) para alcançar o objetivo de sua pesquisa”
Resumindo, o conhecimento cientifico possui as seguintes características:
  • Amplo e profundo;
  • Objetivo;
  • Sistemático;
  • Crítico;
  • Real;
  • Experimental;
  • Verificável;
  • Falível.

Conhecimento religioso

Ao contrário dos conhecimentos cientifico e filosófico, o conhecimento religioso pode ser construído a partir de revelações, escrituras e experiências religiosas e espirituais.
Algumas tradições formulam o conhecimento religioso usando vocabulários conceituais e abstratos. Outras partem para a compreensão intuitiva da verdade religiosa. Em suma, o conhecimento religioso possui as seguintes características:
  • Crença;
  • Fé;
  • Não verificável;
  • Aceitação plena (nenhuma dúvida);
  • Valorativo;
  • Infalível;
  • Indiscutível;
  • Exato;
  • Sistemático.

Conhecimento teológico

conhecimento teológico ou teologia  é uma categoria do conhecimento religioso que pode ser adquirida por meio de diferentes textos sagrados, como o Alcorão, a Torá e a Bíblia.
O termo teologia vem do grego “theos“, que significa Deus, e “logos“, traduzido como estudo ou raciocínio. Portanto, a teologia é a análise e reflexão sobre a natureza divina.
O conhecimento teológico se baseia no conceito de crença, que se refere ao estado mental em que uma pessoa está imersa quando adota uma proposição como verdadeira.
Este estado é subjetivo e considera que as revelações divinas não dependem do homem, mas são dada por entidades espirituais.
Outra característica do conhecimento teológico é que este é valorativo, ou seja, atribui valor a diferentes normas e doutrinas instituídas como sagradas ao longo dos anos.
O conhecimento teológico é construído por meio do estudo sistemático das concepções divinas sobre a origem, o sentido e o futuro do mundo. Ao contrário do conhecimento cientifico, que pode ser testado, a maioria dos conhecimentos teológicos não são baseados em evidências verificáveis.
Por isso, outra característica importante da teologia são os dogmas, afirmações aceitas como verdades plenas, indiscutíveis e infalíveis.

Exemplos de conhecimento teológico

Vamos mencionar 2 tipos de conhecimento teológico, baseados nas religiões católica e protestante:
  • Conhecimento teológico católico: os religiosos procuram aprofundar o conhecimento sobre Deus por meio da Bíblia, que é tomada como a palavra divina. Os teólogos católicos têm como  principal fonte de informações a razão humana, mas também se baseiam em revelações divinas.
  • Conhecimento teológico protestante: os protestantes eliminaram alguns dogmas da fé católica e organizaram 5 postulados em latim (Sola Fide , Sola Gratia , Sola Scriptura , Solus Christus e Soli Deo Gloria), considerando a Bíblia uma fonte infalível de informações.

Conhecimento empírico

Antes de definir o que é conhecimento empírico, vamos refletir sobre o conceito de experiência. “Experiência” vem do latim  experientia e pode ser definida como “conhecimento sensível da realidade externa“. Deste radical latino deriva também perior, que dá origem às palavras periculum (teste ou dificuldade) e peritus(expert).
A experiência é muito importante para a construção do conhecimento. É a partir dela que formulamos problemas e obtemos dados e informações. É também na experiência que testamos e validamos nossas hipóteses e teorias.
Logo, o conhecimento empírico é aquele que foi provado, que passou por diversos testes para ser formulado. Assim, esse tipo de conhecimento também pode ser encontrado no conhecimento científico, já que está presente nos experimentos desenvolvidos pela ciência.
Para leigos, uma pessoa experiente é aquela que possui o conhecimento empírico, isto é, o acúmulo de saberes e habilidades adquiridas por meio de testes, tanto no sentido teórico quanto prático.
As principais características do conhecimento empírico são:
  • Superficial;
  • Subjetivo;
  • Sensitivo;
  • Assistemático;
  • Acrítico.

Comparação entre os tipos de conhecimento

Tipo de ConhecimentoFilosóficoCientíficoReligioso/TeológicoEmpírico
Características principaisRacional;Não experimental;
Não verificável;
Sistemático;
Infalível;
Exato.
Amplo e profundo;Não sensitivo;
Objetivo;
Sistemático;
Crítico;
Real;
Experimental;
Verificável;
Falível.
Crença;Fé;
Inspiracional;
Não verificável;
Aceitação plena (nenhuma dúvida);
Valorativo;
Infalível;
Indiscutível;
Exato;
Sistemático.
Superficial;Subjetivo;
Sensitivo;
Assistemático;
Acrítico;
AlgunsExemplosEpistemologia.Matemática;Biologia;
Química.
Conhecimento teológico católico;Conhecimento teológico protestante.Senso comum;Conhecimentos populares;
Conhecimento a partir de experiências humanas.
É importante diferenciar os tipos de conhecimento para compreendermos melhor o universo, as relações humanas e as nossas crenças. As várias categorias do conhecimento se relacionam e podem ser contrárias, complementares ou auxiliares entre si.
Por exemplo, há princípios e saberes que uma pessoa pode experimentar subjetivamente e que são evidenciados pela ciência. Ao mesmo tempo, esta pessoa pode ter uma experiência subjetiva e associá-la a um dogma religioso, construindo assim seu conhecimento teológico.
E então, gostou de aprender sobre as teorias e os tipos de conhecimento? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!
Bons estudos e até mais!
 

5ª da Boa Música apresenta banda DigoGrilo



Nesta quinta-feira (08/11), a banda DigoGrilo, de Três Corações, apresenta-se no projeto 5ª da Boa Música. A partir das 20h, os músicos trarão para a Estação Ferroviária de Varginha o estilo denominado por eles como “BossaRoça”, com um repertório formado por músicas autorais. A banda é formada por Rodrigo Esperidião (Digo), no violão; Lucas Pereira (Grilo), no vocal e na arte cênica; e Chico Dutra, que é multi-instrumentista. A entrada é gratuita.

Tudo começou em 2012 com encontro dos músicos Rodrigo Esperidião (Digo) e Lucas (Grilo). “BossaRoça” é um gênero musical criado por eles, além de ser um estilo de vida. Originário das terras vermelhas dos cafezais sul mineiros, mistura teatro e música em um produto cultural hi-tech não patenteado.

Trovadores cosmopolitas em constante movimento, a dupla cruzou as straditerras e as veias asfálticas mineiras, de carroça e a pé, levando aos palcos a linguagem circense e colhendo histórias e lendas. A trajetória rendeu canções inéditas em estilo próprio e apresentações marcantes que ganharam o público. “Pássaros”, “Andrajos” e “Money” são alguns hits da “BossaRoça”.

Esta é 327ª edição do projeto 5ª da Boa Música, uma realização da Prefeitura de Varginha, que é executada pela Fundação Cultural. As bandas interessadas em tocar podem entrar em contato com a produtora cultural Ana Luiza Romanielo pelo telefone (35) 3690-2705 ou pelo e-mail eventos@fundacaoculturaldevarginha.com.br.

Contato com a banda

Lucas Grilo: (35) 9 8801-1965

Presidente da ALMG recebe governador eleito Romeu Zema

Em reunião com a Mesa, o novo chefe do Executivo afirmou que prezará pelo diálogo aberto com os parlamentares.

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Adalclever Lopes (MDB), recebeu, na manhã desta segunda-feira (5/11/18), o governador eleito, Romeu Zema (Novo). A reunião, realizada no Salão Nobre do Parlamento mineiro, contou, também, com a participação de membros da Mesa e do vice-governador Paulo Brant (Novo).
Na visita, Adalclever Lopes afirmou que a Assembleia está aberta ao diálogo e à colaboração e avaliou o primeiro contato do novo governador com a Casa como uma demonstração de respeito ao Parlamento mineiro. “Esse diálogo é muito importante para o futuro de Minas. Precisamos estar juntos para minimizar a crise no Estado”, avaliou.
Romeu Zema afirmou que será um governador presente na ALMG e que pretende conhecer todos os parlamentares pessoalmente, a fim de compreender as demandas de cada região do Estado. Disse, ainda, que conta com os deputados para a aprovação de reestruturações exigidas pelo governo federal para repactuar a dívida do Estado. Essa é uma das prioridades do seu governo. “Cabe à Assembleia analisar, entre as propostas, a que será a mais justa para Minas Gerais”, afirmou.
Sobre a reestruturação do Estado, o vereador de Belo Horizonte Mateus Simões (Novo), coordenador da equipe de transição de Zema, afirmou que pretende construir as propostas com apoio dos parlamentares. “A ideia é governar com os deputados, eles vão fazer parte dessa solução. Não há presunção de se ter a resposta pronta”, ressaltou.
O 1º vice-presidente da ALMG, deputado Lafayette de Andrada (PRB), reiterou o compromisso da Assembleia em analisar as propostas e contribuir para amenizar o momento difícil pelo qual o Estado está passando.
Leia mais notícias no Portal da ALMG.

REDE MINAS - PROGRAMA "AGENDA


EM PARCERIA COM A PREFEITURA MUNICIPAL CODEVA REALIZA O V SEMINÁRIO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DE VARGINHA




 Em parceria com a Prefeitura Municipal, o CODEVA - Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência - realizará nos dias 05 e 06 de novembro o V Seminário das pessoas com deficiência de Varginha.
          O evento se iniciará no dia 5, das 19h às 22h, no Teatro Capitólio, com a palestra “A arte de compartilhar histórias: o amor é cego”, que será ministrada pelo contador de histórias Mário Alves e pela cantora, compositora e multi-instrumentista Andressa Versi. Contará também com a apresentação artística da FUVAE e com a participação especial de Lucas Figueiredo de Abreu, artista plástico de Varginha-MG.
As palestras serão uma oportunidade de reflexão acerca dos temas discutidos. A proposta é que as pessoas com deficiência entendam seu papel na sociedade e tomem consciência de que são “sujeitos ativos” neste contexto.

Confira a programação:

5 DE NOVEMBRO
·        Apresentação artística: FUVAE
·        Participação de Lucas Figueiredo de Abreu (artista Plástico de varginha-MG)
·        Palestra – Tema: “A arte de compartilhar histórias: O amor é cego”
Palestrante: Mário Alves e Andressa Versi
6 DE NOVEMBRO
·        Apresentação artística: Lucas Figueiredo de Abreu e Francisco Dib
·        Palestra -Tema: “A pessoa surda”
Palestrante: Prof.ª Sueli Ramalho Segala

Texto: Solange Conde/SEDUC – Varginha/MG

Solange Inácio Ribeiro Conde
Coordenação de Pesquisa/Projetos/Formação Continuada
SEDUC Secretaria Municipal de Educação de Varginha
Av. Brasil, 171 - Vila Pinto - Varginha - MG 


 (35) 3221-6977       (35) 3690 -2093 

 

Rede de Notícias do Sindijori MG

COLUNA MG



Farmácia Verde aumenta produção
            Desde fevereiro deste ano, São Lourenço conta com o atendimento da primeira Farmácia Verde do Sul de Minas, através da Secretaria Municipal de Saúde. Ela oferece aos pacientes do SUS medicamentos fitoterápicos de forma gratuita. Até o momento, quatro tipos de medicamentos estão disponíveis, e são complementares aos tratamentos tradicionais, ou seja, para retirá-los há necessidade de receita médica. Devido à crescente procura, a Farmácia Verde está se organizando para ampliar a lista, passando a oferecer 15 medicamentos previstos para 2019 e 2020. (Jornal Pannorama- São Lourenço)

Conferência discute direitos dos jovens
            Apontar os desafios a serem enfrentados e definir ações para garantir o pleno acesso de crianças e adolescentes às políticas sociais, considerando as diversidades. Esse é o objetivo da 10ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente que será promovida no dia 13 de novembro, em Araxá. A Prefeitura, através da Secretaria de Ação e Promoção Social informa que os interessados em participar da discussões já podem se inscrever. É uma oportunidade única para representantes da sociedade civil e do governo dialogarem sobre políticas públicas voltadas à infância e à adolescência, em um grande debate sobre "Proteção Integral, Diversidade e Enfrentamento das Violências". (Diário de Araxá)

Saúde de Capelinha tem novos projetos
            A Fundação Hospitalar de Capelinha que tem passado por dificuldades financeiras nos últimos anos, passará a receber uma quantia mensal, a título de recompensa, pela internação de pacientes graves e que, por motivo justificado, permaneçam internados na unidade hospitalar por período superior ao previsto para tratamento normal. A conquista foi alcançada através de esforços da Prefeitura Municipal, junto ao Ministério da Saúde e entrará em vigor a partir deste mês de novembro. Para efetivação de tal conquista, a Administração Municipal solicitou, junto aos governos estadual e federal, o recurso para implantação do projeto da internação para cuidados prolongados. (Gazeta dos Vales - Capelinha)

5ª Festa Literária acontece em Congonhas
            A literatura não é somente sobre a arte de escrever e o poder de dar asas à imaginação por meio da leitura, mas também sobre pensar a contemporaneidade. Assim, a diversidade e a importância da inclusão vão permear a programação da 5ª Festa Literária de Congonhas (Flic), que será realizada entre os dias 6 e 9 de novembro. Com o tema "Poesia e literatura na arte de ler e escrever", o evento terá convidados especiais, exposições e atividades para crianças e adultos. A Flic é realizada pelo Governo Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed). O Museu de Congonhas volta a ser o cenário do Ciclo de Debates. (Estado Atual - Conselheiro Lafaiete)

Tráfico de animais persiste na região
            Depois do comércio ilegal de armas e de drogas, o tráfico de animais silvestres é o crime mais praticado no mundo. No Brasil, o hábito de criá-los como bicho de estimação é o maior responsável pela ilegalidade. Em Juiz de Fora e região, dados da Polícia Militar Ambiental mostram que, entre janeiro a julho deste ano, foram apreendidas 897 aves silvestres, 83 répteis e três mamíferos. No total, são 983 animais oriundos de apanha ilegal realizada na natureza nas áreas verdes e na Zona Rural. Os números da Polícia Militar Ambiental também mostram que 789 gaiolas foram apreendidas nesse período. As multas aplicadas nesses sete meses somam R$ 1.674.771,60. Na região, o tráfico de pássaros é o mais grave. (Tribuna de Minas - Juiz de Fora)

Fupac abre inscrições para vestibulares
            A Fupac - Fundação Presidente Antônio Carlos, de Leopoldina e a Funjobe - Fundação José Bonifácio Lafayette de Andrada, de Cataguases estão recebendo inscrições para os vestibulares do ano letivo de 2019, que serão realizados no dia 24 de novembro deste ano, às 14h. Em Cataguases, a Funjobe oferta o curso de Bacharel em Administração; já em Leopoldina há mais opções e dois novos cursos estão sendo ofertados: o de Engenharia Civil e o de Educação Física. Além disso, o campus oferece os cursos de Biomedicina, Ciências Contábeis e Engenharia Ambiental e Sanitária. (Jornal Leopoldinense)

Feira da Paz é adiada em Manhuaçu
            A prefeita de Manhuaçu anunciou, na noite da quinta-feira, 1, durante reunião ordinária da Câmara de Vereadores, o adiamento da Feira da Paz. O motivo, de acordo com a prefeita, são os constantes atrasos por parte do Estado de Minas Gerais no repasse dos recursos financeiros constitucionais, que chegam ao montante de aproximadamente R$ 21,8 milhões que impactam diretamente nas contas da gestão. "Não podemos ser irresponsáveis num momento tão delicado. A situação dos municípios é desesperadora. Temos que preservar os salários dos funcionários municipais. Acho injusto comemorar uma festa, enquanto muitos estão passando por dificuldades", declarou a prefeita. (Jornal das Montanhas - Manhuaçu)

🎭 AGENDA CULTURAL 🎶


Fique por dentro dos eventos apoiados pela Prefeitura de Varginha, por meio da Fundação Cultural, até o dia 11/11/2018.

▶ Segunda-feira (05/11)

♿ V Seminário das Pessoas com Deficiência de Varginha
Horário: 19h às 22h
Local: Theatro Capitólio
Aberto ao público

🎨 Exposição de pintura em óleo sobre tela da artista plástica Isabel Barcelos (BH)
Horário: seg a sex, 8h às 18h / sáb, 8h às 12h
Local: foyer do Theatro Capitólio
Aberto ao público

▶ Terça-feira (06/11)

♿ V Seminário das Pessoas com Deficiência de Varginha
Horário: 19h às 22h
Local: Theatro Capitólio
Aberto ao público

▶ Quinta-feira (08/11)

💃🏻 ETeatro - Campanha de Popularização do Teatro e da Dança
Horário: 20h
Local: Theatro Capitólio
Aberto ao público

🎶 5ª da Boa Música com a banda DigoGrilo
Horário: 20h
Local: Estação Ferroviária
Aberto ao público

▶ Domingo (11/11)

🎷 Seresta na Praça, com grupo Primo Trombini
Horário: 20h
Local: Praça Getúlio Vargas
Aberto ao público

Mais informações: (35) 3690-2700

Acesse também: